terça-feira, 20 de setembro de 2011

RESTRIÇÕES A CAMINHÕES : INTERIOR SP E OUTROS ESTADOS.




ATUALIZANDO EM 22 DE MARÇO 2012 - CUIABÁ - MT





Data.: 22/3/2012










Fonte.: Diário de Cuiabá

A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes Urbanos (SMTU) deve colocar em prática ainda este ano a Lei n° 5.463, de setembro de 2011, que seleciona a circulação de veículos de carga e operação de carga e descarga no centro de Cuiabá. Trata-se de uma reformulação da Lei n° 205, revogada em 2010, que proíbe este tipo de veículo de andar na área central em determinados horário.
Segundo a gerente de transportes do órgão, Lucélia de Lucena Serar, a nova medida já entrou em vigor a partir da data de sua publicação, contudo ainda não foi posta em prática por conta da falta de sinalização e estrutura da secretaria. “Na realidade a nova lei já está em vigor, mas não foi colocada em prática, pois ainda falta sinalização nas ruas e avenidas de Cuiabá, e também estrutura na secretaria para atender a demanda”, disse.
O principal objetivo da lei é disciplinar a circulação de veículos de carga pesada no centro da Capital, a fim de melhorar o trânsito, bem como conservar as ruas e os patrimônios históricos.
Lucélia ressalta que foi preciso redesenhar a área central do município, à qual foi dado o nome de Zonal de Área Central (ZAC). Ela vai basicamente da Avenida Isaac Povoas até o bairro do Porto. Nesta região ficará proibida a circulação de caminhões com carga acima de 24 toneladas das 6h às 20h. Durante a noite e a madrugada, das 20h às 6h, eles poderão circular normalmente.
Além disso, dentro da ZAC foi criada a Zona de Restrição Máxima, que compreende as Avenidas Manoel José de Arruda, Oito de Abril, Marechal Deodoro, Filinto Müller, Presidente Marques, Mato Grosso, Tenente Coronel Duarte, Professor João Gomes Sobrinho, Eugênio Gonçalvez Pinheiro, Fernando Correa, General Vale e Manoel de Arruda, bem como as ruas Comandante Costa, Ten-cel. Thogo da Silva Pereira, João Bento, Américo Salgado, Antônio Batista Belém e São Cristovão.
Nesta região, que inclui o conjunto arquitetônico, urbanístico e paisagístico da Capital, fica proibida a circulação de veículos de carga


ATUALIZANDO MATÉRIA EM 10 DE AGOSTO DE 2011 .

Curitiba terá restrições aos caminhões em quase 40 vias

A partir do dia 1/9, veículos de carga de mais de sete toneladas serão proibidos de trafegar nos locais definidos de segunda a sexta-feira, das 7h às 10h e das 17h às 20h. Pedido dos transportadores foi atendido pela prefeitura, que flexibilizou o horário das proibições

10/8/2011

Victor José, do Portal Transporta Brasil
Após ter anunciado outras duas datas, a Prefeitura de Curitiba determinou nesta terça-feira (9/8) que, a partir do dia 1/9, veículos de carga de mais de sete toneladas serão proibidos de trafegar pela Linha Verde – e outras 38 ruas da cidade – de segunda a sexta-feira, das 7h às 10h e das 17h às 20h. Proibição não valerá para os finais de semana.

A princípio, a ideia da Prefeitura era fazer com que os veículos com mais de 10 metros de comprimento não circulassem pela via em nenhum horário, porém, o Setcepar (Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas no Paraná) insistiu na flexibilização da regra.

“Com isso, conseguiremos ajudar o fluxo da Linha Verde nos horários de pico, sem prejudicar o transporte de carga paranaense. A proibição durante todo o dia inviabiliza o nosso negócio”, afirma o Presidente do Setcepar, Gilberto Antonio Cantu.

A Diretran (Diretoria de Trânsito de Curitiba) instalará placas informativas em toda a extensão da avenida antes da nova regra entrar em rigor e a prefeitura realizará na cidade campanhas que orientarão os motoristas de caminhões sobre as restrições.

Além desta, há uma outra restrição ao tráfego de caminhões em Curitiba que existe desde 1997, válida para o Centro da capital paranaense. O Decreto Municipal nº 973 determina horários específicos para carga e descarga de acordo com a capacidade de carga e o comprimento do veículo.

Confira abaixo as ruas onde haverá a proibição






ATUALIZANDO MATÉRIA - 30 DE JUNHO DE 2011.

.Começa restrição para caminhões na área central de Campinas



Qui, 30 de Junho de 2011 10:39 Escrito por Paulínia News

Entra em vigor à 0h desta sexta-feira (1/7) o pacote de restrições à circulação de caminhões em Campinas. O foco das limitações é reduzir o impacto provocado pelos caminhões na cidade e, principalmente desafogar o trânsito na região central que diariamente registra o fluxo de 150 mil veículos.

A secretaria de Transporte estima que do total de veículos que circulam no Centro, 30% sejam formados por caminhões de grande porte, criando problemas de congestionamentos em trechos de maior tráfego. Outra intenção da medida é diminuir a emissão de gases tóxicos no município.

Porém, a autuação pelo não cumprimento da nova legislação só deve ocorrer a partir de dezembro, após o tempo de adaptação das novas regras pelas transportadoras e motoristas. Após o período de adaptação, começam a valer as autuações.. Quem for flagrado trafegando nos locais restritos leva multa no valor de R$ 85,13 e soma quatro pontos na carteira.

Como fica

Na primeira área, denominada Anel Rodoviário, fica proibida a circulação interna de veículos de carga com comprimento acima de 14 metros. O anel é formado por rodovias como Anhanguera, Bandeirantes e José Roberto Magalhães Teixeira. A restrição acontece de segunda a sexta-feira, das 6h às 20h; e aos sábados, das 6h às 14h.

A segunda área é denominada Anel da Integração Rebouças e delimitará o centro nervoso do trânsito. Formado por importantes vias (veja quadro), na área interna só será permitido que os veículos de carga com no máximo 6,3 metros de comprimento circulem entre às 6h e 20h. O anel é formado pelas áreas circundadas por avenidas como José de Souza Campos (Norte-Sul), Dr. Heitor Penteado, Andrade Neves e Princesa d'Oeste. Assim como na área anterior, a restrição vale de segunda a sexta-feira, das 6h às 20h; e aos sábados, das 6h às 14h.

Ficou também proibida a circulação de veículos acima de 14 metros no Distrito de Nova Aparecida, todos os dias da semana em todos os horários.

Fonte: RAC


ATUALIZANDO MATÉRIA 26 / ABRIL / 2011.

RESTRIÇÕES A CAMINHÕES : GOIANIA - GOIÁS..


20/04/2011 - 21h45

Veículos pesados e caminhões serão proibidos de circular em ruas movimentadas de Goiânia
Lourdes Souza
Especial para o UOL Notícias - Em Goiânia

O tráfego de veículos pesados e caminhões será restrito nas ruas de maior fluxo de Goiânia (GO), principalmente nos horários de picos. A nova legislação foi sancionada nesta quarta-feira (19), pelo prefeito Paulo Garcia (PT), e deve entrar em vigor em 180 dias, prazo para a regulamentação das regras.

O presidente da Agência Municipal de Trânsito (AMT), Miguel Tiago, diz que trajetos específicos e horários de circulação serão definidos em parceria com representantes da iniciativa privada. Segundo ele, o objetivo é aliviar o trânsito da cidade –por onde circulam cerca de 1,15 milhão de veículos– sem provocar prejuízos para a economia.

Tiago diz que a legislação vai colaborar para a disciplina do trânsito, que tem sofrido estrangulamentos devido à alta quantidade de veículos pesados nas regiões centrais. Caminhões que transportam bebidas e alimentos, material de construção e veículos são os que mais obstruem o trânsito nos horários de pico.

As regiões mais afetadas pela restrição serão o centro e a região de Campinas, onde existe um maior movimento de carga e descarga de mercadorias, bem como os setores Bueno e Bela Vista, que concentram revendedoras de automóveis. As avenidas terão placas indicativas, com as especificações dos horários.

Para o presidente da Federação da Câmara de Dirigentes Lojistas do Estado de Goiás (FCDL), Melchior Luiz Duarte de Abreu Filho, a medida beneficiará a cidade se for negociada com o setor produtivo. Ele afirma que o comércio apoia a redução do tráfego de veículos pesados desde que sejam consideradas as especificidades de cada segmento. “É preciso considerar que há estabelecimentos que precisam repor mercadorias durante o dia todo, praticamente. Não podemos assumir sozinhos os custos de mudanças bruscas na logística de entregas de produtos.”

Abreu Filho diz que há uma série de questões envolvidas, principalmente de segurança. Ele avalia que carga e descarga não podem ser feitas somente no período noturno porque implicam em risco de roubo e encarecem o custo da logística.

O presidente da AMT, Miguel Tiago, ressalta que os estudos para a regulamentação da lei vão levar em conta todos os setores envolvidos. Segundo ele, o objetivo é discutir os conflitos para que as restrições sejam implantadas da melhor maneira possível.

"O objetivo é esgotar os conflitos gerados entre a lei e o setor produtivo. As restrições serão controladas de maneira a prejudicar menos o setor", afirma.

O professor doutor em engenharia de transportes pela USP (Universidade de São Paulo), Benjamin Jorge Rodrigues, diz que o veto à circulação de veículos pesados nas ruas de Goiânia ajudará a reduzir o estrangulamento do trânsito. Segundo ele, a medida funcionará desde que sejam resguardados os horários de pico. “Um caminhão ocupa espaço de dois até quatro veículos de menor porte e acaba emperrando o tráfego porque também tem agilidade reduzida.”

No entanto, Rodrigues avalia que a nova medida será apenas paliativa. De acordo com ele, a conclusão da obra do Anel Viário, no trecho da BR-153, na área urbana da grande Goiânia, é imprescindível para facilitar o fluxo dos veículos pesados, que precisam cruzar a região metropolitana. Paralisada há quase cinco pelo Tribunal de Contas da União (TCU), a obra ainda não tem nada para ser concluída.




ATUALIZANDO MATÉRIA 20 / MARÇO / 2011.

RESTRIÇÕES A CAMINHÕES : TERESINA - PIAUÍ.






Lei restringe veículos com mais de 2 ton no centro de Teresina
Escrito por Cidade Verde
Sex, 18 de Março de 2011 12:15
Teresina (PI) – A partir do mês de março, os caminhões com peso superior a duas toneladas só poderão circular no centro de Teresina a partir das 19h. Eles terão até as 7h da manhã seguinte para fazer a descarga das mercadorias.

No perímetro central entre as avenidas José dos Santos e Silva e Campo Sales, e da avenida Maranhão à Miguel Rosa, fica proibido em horário comercial a circulação desses veículos.

A lei é de autoria do vereador Décio Solano (PT) e existe desde o ano de 2009. Entretanto só será posta em prática agora. Neste primeiro mês os agentes da Strans irão apenas orientar os motorista e as punições ocorrem a partir do mês de abril.

De acordo com o secretário municipal de Planejamento, João Alberto Monteiro, essa medida resolve parcialmente o problema de congestionamento e estacionamento no centro da capital.

“Os veículos não podem estacionar nas ruas, mas como não há outra opção, tenho que criar outras soluções. Uma medida é colocar horários específicos para que esses caminhões não atrapalhem o trânsito, como ocorre com o caminhão do lixo, por exemplo”, explicou.

As multas estão previstas no Código Brasileiro de Trânsito relacionado a não transitar em local proibido.


ATUALIZANDO MATÉRIA 10 / MARÇO / 2011.

RESTRIÇÕES A CAMINHÕES : PORTO ALEGRE

ATUALIZANDO MATÉRIA 26 / ABRIL / 2011.



Veículos pesados são proibidos de circular no centro de Belo Horizonte

A partir de 21/2, veículos com carga acima de cinco toneladas ou comprimento superior a 6,50 metros têm circulação restrita na Região Central de Belo Horizonte.

De acordo com a Empresa de Transporte e Trânsito da capital (BHTrans), os veículos não vão poder circular em 15 corredores que ligam bairros à área central da capital nos horários de pico, de segunda à sexta-feira entre 7h e 9h e 17h e 20h. Nos sábados, não vão poder trafegar das 7 às 9h. Ainda segundo a BHTrans, a proibição inclui carretas e cavalos mecânicos.

Veja abaixo os trechos em que o trânsito de veículos pesados passa a ser restrito:

- Avenida Afonso Pena, entre a Avenida do Contorno e a Avenida Bandeirantes;
- Avenida Prudente de Morais;
- Avenida Raja Gabaglia, entre a Avenida do Contorno e a Avenida Barão Homem de Melo;
- Avenida Amazonas, entre a Avenida do Contorno e a Avenida Silva Lobo;
- Avenida Tereza Cristina, entre a Avenida do Contorno e a Avenida Silva Lobo;
- Elevado Castelo Branco;
- Avenida Pedro II, entre a Avenida Nossa Senhora de Fátima e a Avenida Carlos Luz;
- Avenida Antônio Carlos, entre a Avenida Nossa Senhora de Fátima e a Avenida Bernardo Vasconcelos;
- Túneis Presidente Tancredo Neves e Prefeito Souza Lima (Túneis da Lagoinha);
- Avenida Cristiano Machado, entre os Túneis da Lagoinha e a Avenida Silviano Brandão;
- Avenida dos Andradas, entre a Avenida do Contorno e a Avenida Silviano Brandão;
- Rua Itajubá, entre a Avenida do Contorno e a Rua Pouso Alegre;
- Rua Pouso Alegre, entre a Avenida Flávio dos Santos e a Rua Jacuí;
- Rua Jacuí, entre a Rua Pouso Alegre e a Avenida Cristiano Machado;
- Avenida do Contorno, entre a Avenida Afonso Pena e a Avenida Amazonas (trecho sentido horário).

A BHTrans pode emitir autorização especial para veículos cargas indivisíveis ou que ultrapassem a capacidade e horários estabelecidos.


Fonte: G1 MG




NOTÍCIA ATUALIZADA EM 14 DE FEVEREIRO DE 2011.

Diadema proíbe circulação de caminhões em 11 vias do Centro

Data.: 14/2/2011
Fonte.: A Tribuna - SP

A circulação de caminhões está proibida a partir desta segunda-feira em 11 vias do Centro de Diadema, no ABC, entre 6h e 20h de segunda a sexta-feira e das 6h às 14h aos sábados. A medida foi tomada pela prefeitura da cidade para reduzir a circulação dos veículos de carga, que prejudicava o trânsito na cidade.
Será permitida a circulação apenas dos Veículos Urbanos de Carga (VUCs), com peso de até 4 toneladas, veículos com cargas perecíveis e de serviços essenciais.

“Nós temos observado um aumento de 20% a 30% no fluxo de veículos na região central da cidade. Os veículos de grande porte, os caminhões, eles causam um transtorno muito grande, aumenta o fluxo principalmente na Avenida São José, rua principal de transporte coletivo. Isso causa atrasos e reclamações dos usuários”, explicou Ricardo Perez, secretário de transportes de Diadema.

A fiscalização será feita por radares e pelos agentes de trânsito. Quem infringir a regulamentação está sujeito a multa de R$ 85,13 e quatro pontos na carteira de habilitação.

Para o secretário, a mudança não causará problemas ao comércio da cidade. “Os grandes comerciantes já estão acostumados a esse tipo de restrição, eles recebem normalmente suas mercadorias à noite, ou bem cedo de manhã. E o comércio normal é bem atendido pelo VUC”, explicou Perez.

Na capital paulista, a circulação de caminhões é restrita de segunda a sexta-feira das 5h `Pas 21h na Marginal Pinheiros, avenidas dos Bandeirantes e Roberto Marinho e em dez vias do Morumbi, na Zona Sul: avenidas Giovanni Gronchi, Francisco Morato, Morumbi (entre a Ponte do Morumbi e a Avenida Francisco Morato), Doutor Luiz Migliano, Doutor Guilherme Dumont Villares, Jacob Salvador Zveibel e João Jorge Saad e nas ruas Engenheiro Oscar Americano, Padre Lebret e Jules Rimet (da Praça Roberto Gomes Pedrosa até a Rua Padre Lebret).


NOTÍCIA ATUALIZADA EM 14 DE FEVEREIRO DE 2011

CASTELLO BRANCO - INTERIOR - CAPITAL.

Castello Branco - A Rodovia Castello Branco também teve mudança
A partir de agora, aos domingos e feriados, os caminhões estão proibidos de passar pela estrada no sentido São Paulo das 14h até 1h do dia seguinte – antes, a proibição era até 23h.

A regra vale para caminhões com peso superior a uma tonelada, entre o km 129, em Tatuí, e o km 13, já na capital paulista. Os veículos que transportam cargas perecíveis são autorizados a circular em qualquer horário em toda a rodovia.

NOTÍCIA ATUALIZADA EM : 31 / 01 /2011 = 22.45 HS.


ITAPECIRICA DA SERRA
Restrição a tráfego de caminhões começou 31/01
Desde 31 de janeiro, está proibido o tráfego de caminhões e carretas em todas a extensão da avenida XV de Novembro, rua Manoel Maximino da Rosa, rua Treze de Maio e estrada Ary Domingues Mandu, região central de Itapecerica da Serra. A restrição vale de segunda a sexta-feira, das 5h às 21h, e aos sábados, das 5h às 14h.

Segundo o secretário municipal de Segurança, Trânsito e Transporte, João Pereira, a medida foi necessária pois a restrição da circulação de caminhões em ruas de municípios vizinhos e da capital acarretou na fuga destes veículos para Itapecerica da Serra. “Fomos obrigados a também restringir a circulação de caminhões em Itapecerica da Serra, visto que as vias da cidade não estão preparadas para o tráfego dos veículos pesados advindos de outros locais”, afirmou o secretário.

De acordo com o decreto, ficam isentos da proibição os veículos previamente autorizados para cargas e descargas ao comércio da cidade, transporte de combustíveis e gás de consumo local, coleta de lixo, transporte de valores, produtos perecíveis, socorro mecânico, obras e serviços de emergência, prestação de serviços públicos essenciais, mudanças, transporte de presos, bem como os destinados a socorro de incêndio, salvamento e de operação de trânsito.

Os proprietários dos veículos mencionados deverão requerer previamente o Cartão Caminhão – CC, expedido pelo Departamento de Trânsito e Transporte, junto ao setor de Protocolo Geral da Prefeitura, localizado no Complexo Administrativo Norberto José da Costa, sede do Poder Executivo.




NOTÍCIA ATUALIZADA EM : 28 / 04 /2009 = 22.45 HS.

MAIRIPORÃ.

Depto. de Trânsito - Rodízio municipal para caminhões e carretas
O Departamento de Trânsito da Prefeitura de Mairiporã informa: a partir de 27 de abril de 2009, foram adotadas novas regras para circulação de CAMINHÕES E CARRETAS COM MAIS DE DOIS EIXOS pelas ruas centrais de Mairiporã - avenidas Leonor de Oliveira e Tabelião Passarella, ruas Ipiranga, XV de Novembro, Coronel Fagundes e alameda Tibiriçá.

Esses veículos devem cumprir o esquema de rodízio, conforme segue:

Veículos com placas de FINAL PAR (0, 2, 4, 6, 8) estão proibidos de trafegar NOS DIAS PARES.
Veículos com placas de FINAL ÍMPAR (1, 3, 5, 7, 9) estão proibidos de trafegar NOS DIAS ÍMPARES.
O rodízio se aplica diariamente, das 6h às 11h e das 15h às 20h, exceto feriados, conforme Lei Municipal nº 2.784, de 13 de maio de 2.008.

Mais informações no departamento de Trânsito, pelos telefones 4419-5577 e 4419-2650.



NOTÍCIA ATUALIZADA EM : 15 / 11 /2006 = 22.45 HS.


CAMPINAS - Resolução já dispõe sobre carga e descarga

A resolução municipal n 210, publicada no Diário Oficial de Campinas em novembro 2006, dispõe sobre critérios das operações de carga e descarga de bens, mercadorias e valores na área central da cidade. Para as operações de carga e descarga são considerados peso bruto, dias da semana, horários e demarcação de locais do sistema viário público nas áreas central. Em 2009, a restrição de caminhões foi ampliada para o corredor central.

Os veículos são definidos de acordo com o artigo 117 do Código de Trânsito Brasileiro como de pequeno porte (até 6 toneladas), médio porte (entre 6 e 10 toneladas) e grande porte (acima de 10 toneladas). As operações de carga e descarga de bens e mercadorias em vagas demarcadas, na área central do município, são realizadas de acordo com o porte dos veículos e características do local, segundo a resolução municipal. Hoje, os veículos de pequeno porte podem fazer o transporte de carga de segunda-feira a domingo, 24 horas por dia, em locais de estacionamento permitido. Já os de médio porte, de segunda a sexta-feira, das 20h às 8h, podendo ser prorrogado até 9h30, dependendo da via, conforme especificado no artigo 4 e anexo II da resolução. Aos sábados das 14h às 24h e aos domingos durante todo dia.

Já os veículo de grande porte podem transitar de segunda a sexta-feira, das 20h às 8h; aos sábados das 14h às 24h e aos domingos durante todo o dia. As operações de carga e descarga no mês de dezembro, do 1 ao 24 dia, deverão ocorrer das 22h às 8h, podendo se prorrogar até as 9h30, dependendo da via e do tipo de veículo. É vedada a operação de carga e descarga de bens, mercadorias, inclusive de valores, na área exclusiva de circulação de pedestres. (CA/AAN).


Fonte: Correio Popular (SP)

2 ) NOTÍCIAS - TABOÃO DA SERRA.

Depois de São Paulo, Taboão da Serra restringe caminhões

A Prefeitura de Taboão da Serra, na Grande São Paulo, restringiu a circulação de caminhões em todas as ruas da cidade. A medida, válida desde sábado, é uma reação à restrição da capital - que teria provocado uma "invasão" de caminhões na cidade.
De acordo com o secretário de Transporte do município, Claudinei Pereira, Taboão virou rota alternativa dos motoristas que fogem da proibição do tráfego na Marginal do Pinheiros, iniciada em setembro, e nas ruas do Morumbi, na zona sul, desde 29 de outubro. "A medida em São Paulo pode ter sido boa para a cidade, mas condeno o fato de o prefeito Gilberto Kassab não conversar com a Região Metropolitana. Fez com que ficássemos reféns", disse Pereira. Em uma das vias, o número de caminhões chegou a 870 em um dia - o triplo do que era registrado antes.

A restrição ocorre de segunda a sexta-feira, das 5 horas às 21 horas, e aos sábados, das 10 horas às 14 horas. Dentro de 15 dias, a prefeitura começará a aplicar multas de R$ 85,13, mais quatro pontos na carteira de habilitação. A administração colocou 30 faixas e 45 placas avisando sobre a proibição. A punição só será feita para veículos que estiverem de passagem por Taboão. Empresas da cidade serão isentas, mediante cadastro na prefeitura ou no Departamento de Trânsito.

O presidente do Sindicato dos Transportadores de São Paulo (Sindcam), Norival de Almeida Silva, critica a medida. "Já não temos outras opções. Daqui a pouco, não teremos como andar no Estado", diz. A restrição de caminhões na capital já havia incomodado municípios vizinhos, que reclamavam da migração dos veículos. Santo André faz estudos para mensurar o impacto do tráfego para decidir sobre proibições. São Caetano descartou, por enquanto, medidas restritivas.

OUTRAS RESTRÇÕES QUE ME FORAM PASSADAS PELO SR. LUIZ ANTONIO BISOLO DE JUNDIAI.


Limeira
Liberado até às 09:00

Jundiaí
Liberado até às 07:00

Piracicaba
Liberado até às 09:00

Campinas
Liberado até às 07:00

Sorocaba
Liberado até às 07:00

Itú
Liberado até às 08:00

Indaiatuba
Liberado até às 09:00

Itatiba
Liberado até às 10:00

Atibaia
Liberado até às 09:00

São José Dos Campos
Liberado até às 10:00

Jacareí
Liberado até às 09:00

Tatuí
Liberado até às 09:00

Guarulhos
Liberado até às 07:00

Ribeirão Preto
Liberado até às 09:00

Francisco Morato
Liberado até às 07:00

Itaquaquecetuba
Liberado até às 09:00

Santos
Liberado até às 08:00

São Vicente
Liberado até às 07:00






11 de junho de 2010

Estado de S.Paulo

A Prefeitura de São Paulo ampliará as restrições à circulação de caminhões na capital, principalmente nas Marginais do Pinheiros e do Tietê e na Avenida dos Bandeirantes. A medida é necessária nestes meses que antecedem o início da cobrança de pedágio no Trecho Sul do Rodoanel. Caso contrário, boa parte das carretas poderá voltar a circular por essas vias. Muitos transportadores aproveitarão a melhoria do tráfego nesses corredores, com a entrega da pista central da Marginal do Tietê e a abertura do novo trecho do anel rodoviário, e evitarão pagar o pedágio, comprometendo os resultados dos investimentos públicos, que atingiram R$ 6,3 bilhões nas duas obras viárias.


Com o início da operação do Trecho Sul do Rodoanel, em 1.º de abril, houve aumento de 42% na fluidez do tráfego na Avenida dos Bandeirantes, de 34% na Marginal do Pinheiros e de 40% na Marginal do Tietê. Em toda a cidade, conforme a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o ganho médio de fluidez foi de 28%. Até março, passavam pela Avenida dos Bandeirantes 2.389 caminhões de manhã e, à tarde, 2.852. Com a inauguração das pistas, esse volume caiu para 1.457 durante a manhã e 1.389 à tarde. Dos 3 milhões de veículos que utilizaram os 61,4 quilômetros do novo trecho do Rodoanel, no primeiro mês de funcionamento, 40% foram caminhões.

Apesar desses ganhos de eficiência, o planejamento do uso da malha viária precisa ser cada vez mais rigoroso uma vez que essas melhorias têm vida curta numa cidade onde 1,2 mil veículos são emplacados diariamente. Bem fará o prefeito Gilberto Kassab se cumprir a Agenda 2012, o plano de metas da gestão municipal que, no item mobilidade urbana, se comprometeu a ampliar o rodízio de caminhões, uma vez inaugurado o Trecho Sul.

Em meados de 2008, a CET criou restrições à circulação de caminhões nas ruas da capital. Proibiu a frota pesada de circular entre 5 e 21 horas nos 100 km² da Zona Máxima de Restrição de Circulação e, nas Marginais e Avenida dos Bandeirantes, impôs a ela o mesmo sistema de rodízio adotado para os automóveis. Por sua vez, os Veículos Urbanos de Carga, de 6,30 m de comprimento, passaram a obedecer a um rodízio de placas pares e ímpares, de acordo com os dias da semana. Na capital, circulam mais de 10 mil desses veículos.

Na época, o prefeito Gilberto Kassab afirmou que se tratava de medida paliativa até que o novo trecho do Rodoanel entrasse em operação. Estudos da CET mostraram que 15% dos veículos que rodavam diariamente nos horários de pico eram caminhões. Essa frota ocupava 42% da malha viária. Os 17 mil quilômetros de vias paulistanas eram utilizados por 5 milhões de automóveis, 240 mil caminhões, 41 mil ônibus, 9 mil lotações e 690 mil motocicletas. A restrição conseguiu tirar de circulação 100 mil desses veículos das Marginais e do centro expandido.

No primeiro mês de cumprimento das novas regras, a fluidez do trânsito da capital melhorou 22%. A velocidade dos ônibus em avenidas como a Faria Lima aumentou 55%. Um ano depois, no entanto, altos índices de congestionamento voltaram à rotina dos paulistanos. Às 19 horas do dia 10 de junho de 2009, a cidade atingiu seu recorde de congestionamento, com 293 quilômetros de vias completamente paradas e, de lá para cá, a média de lentidão na cidade no pico da tarde tem se mantido sempre acima dos 100 quilômetros. Seria pior sem o Trecho Sul do Rodoanel.

Apesar da saída de milhares de caminhões da cidade, dos esforços para disciplinar o tráfego de veículos pesados e da ampliação da malha viária, o paulistano continua sofrendo no trânsito. Por isso, deve-se evitar qualquer retrocesso, principalmente a volta das carretas aos principais corredores. A Prefeitura precisa, sim, cumprir a Agenda 2012, mas, além de impedir a circulação da frota pesada na cidade, deve também contribuir para a melhora da mobilidade urbana com medidas como o investimento de R$ 1 bilhão no metrô, a reforma dos 38 quilômetros dos corredores de ônibus já existentes e a construção de outros 66 quilômetros.

PERFIL DE CARGAS :

Principais Tipos de Transporte de Cargas

1. TRANSPORTE DE CARGA GERAL - é o tráfego de porta-a-porta, de cargas completas ou fracionadas, embaladas ou não, que, por sua natureza e característica, utiliza veículos ou equipamentos convencionais, compreendendo o transporte de produtos industrializados, produtos químicos (classificados como não perigosos) e farmacêuticos, líquidos envasilhados, produtos alimentícios, matérias de construção, laminados de madeira e outros;

2. TRANSPORTE ITINERANTE - é o operado, sob emprazamento da coleta à entrega, geralmente de volumes pequenos ou de peso reduzido cuja distribuição ou entrega se processa segundo itinerários e regiões pré-determinados, abrangendo o transporte de drogas, medicamentos, perfumarias e outros;

3. TRANSPORTE COM VENDAS AMBULANTES - é o que se realiza quando o condutor do veículo transportador efetua, simultaneamente a venda e a entrega da carga transportadora;

4. TRANSPORTE DE ENCOMENDAS - é um serviço específico de transporte de carga, cuja operação compreende a coleta ou a recepção da carga, tráfego e entrega à domicílio pelo transportador, dentro de um prazo por este previamente definido, entre locais de origem e destino pré-fixados;

5. TRANSPORTE DE CARGAS SÓLIDAS A GRANEL – é o que se realiza mediante a utilização de carroçaria apropriadas e providas de mecanismos de carregamento e descarregamento adequados; compreende o tráfego de cereais, fertilizantes e outros, abrangendo também o transporte de produtos britados, ou em pó a granel;

6. TRANSPORTE DE CARGAS LÍQUIDAS A GRANEL - é o que se realiza mediante e utilização de veículos ou equipamentos com tanques ou cisternas apropriados com dispositivos de carregamento e descarregamento adequados, compreendendo o transporte de água, leite, óleos alimentícios, vinho e outros:

7. TRANSPORTE DE MUDANÇAS - é realizado em veículos apropriados, por transportadores que oferecem condições especiais de segurança na prestação do serviço e compreende o transporte de bens fora do comércio, como móveis, utensílios, artigos do lar, ou de escritórios, tendo geralmente como remetente o destinatário, a mesma pessoa física ou jurídica.

8. TRANSPORTE DE MÓVEIS NOVOS - é o realizado em veículos apropriados e compreende o tráfego de móveis e utilizados não embalados, entre fábricas, depósitos de distribuição ou outros estabelecimentos com fins comerciais;
9. TRANSPORTE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES NOVOS OU USADOS - é o que se realiza em unidades especialmente construídas para esse tipo de transporte e se destina, principalmente, ao escoamento de produção da fábrica de veículos automotores;

10. TRANSPORTE DE CARGA UNITIZADA EM “CONTAINERES” OU COFRES DE CARGA - é o que emprega veículos providos de dispositivos de fixação e de segurança desse equipamento, segundo normas técnicas específicas e depende de utilização de dispositivos de carregamento e descarregamento;

11. TRANSPORTE DE CARGAS EXCEPCIONAIS E INDIVISÍVEIS - é o que requer condições especiais de trânsito, quanto à horários, velocidade, sinalizações, acompanhamento, ou medidas específicas de segurança nas estradas, bem como de segurança de propriedade de terceiros e da própria rodovia, compreendendo o transportes de materiais, implementos, partes estruturais, máquinas ou parte de máquinas e equipamentos, cujas dimensões e/ou peso excedam os limites fixados pelos órgãos competentes de trânsito, requerendo, geralmente, a utilização de veículos especiais;

12. TRANSPORTE DE PRODUTOS PERECÍVEIS SOB TEMPERATURA CONTROLADA - é o realizado com a utilização de veículos dotados de equipamentos isotérmicos ou frigoríficos, providos de mecanismos auxiliares destinados a manter a temperatura adequada da carga, a ventilação e o teor de umidade adequado, dentro de limites máximos e mínimos, em função do tempo de tráfego e de acordo com as especificações da carga transportada, compreendendo o transporte de carnes, frutos do mar, de produtos hortifrutigranjeiros e outros;

13. TRANSPORTE DE CARGAS AQUECIDAS - é o realizado sob temperatura controlada, que emprega veículos especiais, equipados com dispositivos auxiliares, tais como maçaricos e similares para a conservação de temperatura de carga ou para facilitar a operação de carregamento e descarregamento, compreendendo o transporte de asfalto, betumes, breu e outros;

14. TRANSPORTE DE VALORES - é o que se realiza em unidades blindadas e providas de mecanismo especiais de segurança, destinados a oferecer segurança à carga e ao pessoal de vigilância que acompanha a operação, e compreende o transporte de dinheiro, títulos, ações, jóias, pedras e metais preciosos e outros;

15. TRANSPORTE DE GADO EM PÉ - é aquele que emprega veículos apropriados para preservar a integridade física e as condições sanitárias dos animais transportados, compreendendo o transporte de gado vacum, eqüino, asinino, suíno, ovino e caprino,

16. TRANSPORTE DE MADEIRA EM PRANCHA OU TORAS NÃO BENEFICIADAS - é aquele que, pela dimensão ou pelo peso da carga deve ser realizado em veículos com equipamentos auxiliares específicos que facilitam a operação de carregamento, tráfego e descarregamento;

17. TRANSPORTE DE PRODUTOS SIDERÚRGICOS E PRODUTOS ESPECIAIS DE AÇO – é o que pelas suas características e forma da carga, requer a utilização de veículos dotados de dispositivos, ou reforços ou suplementos especiais, destinados atender às condições de segurança exigidas, compreendendo o transporte de bobinas de aço e de produtos especiais de aço, laminados ou não;

18. TRANSPORTE DE ENGRADADOS (LÍQUIDOS ENGARRAFADOS) - é o que se realiza em veículos com carrocerias especiais, para esse fim, compreendendo o transporte de bebidas e outros líquidos engarrafados para distribuição e varejo;

19. TRANSPORTE DE CARGAS PERIGOSAS - é o que estando sujeito a normas específicas, técnicas e operacionais, expedidas por órgãos competentes, entidades especializadas e fabricantes dos produtos, requer medidas especiais de precaução e segurança, relacionadas com as operações de carregamento, arrumação, descarregamento, manipulação, estivagem, trânsito e tráfego, atendidas também as características dos veículos e equipamentos utilizados e a natureza das cargas, medidas essas destinadas à prevenção de acidentes que acarretam danos à vida humana ou a bens de terceiros ou do próprio transportador;

20. TRANSPORTE DE PRODUTOS QUÍMICOS AGRESSIVOS A GRANEL (LÍQUIDOS E GASOSOS) - é o realizado sob pressão ou não, em veículos tanques ou cisternas, dotados de dispositivos de segurança necessários ao carregamento, tráfego e descarregamento, compreendendo o transportes de oxidantes, corrosivos, produtos petroquímicos, substâncias tóxicas, venenosas e similares;

21. TRANSPORTE DE PRODUTOS INFLAMÁVEIS A GRANEL - é o realizado em caminhões tanque, de derivados de petróleo, óleos combustíveis, gasolinas, querosene, solventes, nafta e combustíveis para aeronaves, álcoois e outros produtos;

22. TRANSPORTE DE GÁS LIQUEFEITO (À GRANEL E ENGARRAFADO) - é o realizado sob pressão, a granel, em caminhões-tanque, ou fracionado em botijões sujeitos a norma de segurança adequadas relativas aos tipos de recipientes e carrocerias utilizadas;

23. TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS FRACIONADOS (LÍQUIDOS SÓLIDOS E GASOSOS) - é o que se realiza em embalagens ou recipientes adequados, observados as normas de segurança, de prevenção e compatibilizaçao com outras cargas, podendo ser utilizados veículos convencionais para carga geral fracionada.

24. TRANSPORTE DE PRODUTOS EXPLOSIVOS - é o que abrange produtos que, por sua natureza e características estão sujeitos ao risco de explosão, pela ação do calor, do atrito ou de choque, pondo em perigo a vida humana e bens materiais, e requer embalagens adequadas, bem como normas rígidas de segurança, de quantificação, de manuseio e arrumação, de carregamento e descarregamento. Compreende o transporte de explosivos propriamente ditos, munições, artifícios pirotécnicos e outros produtos.




Publicado em 26/04/2011 às 07h42:

Circulação de caminhões tem restrição
a partir desta terça em bairro em MG
Medida possibilita o trânsito de veículos
mais ágeis, segundo coordenador da BHTrans

Do Hoje em Dia.

Publicidade..A circulação de caminhões em várias ruas do bairro de Lourdes, na região centro-sul de Belo Horizonte (MG), terá que seguir algumas restrições a partir desta terça-feira (26). Os veículos com mais de 6,5 m e capacidade acima de 5 t e a operação de carga e descarga estão proibidos entre 7h e 9 h e das 17h às 20h, de segunda a sexta-feira. Aos sábados, a nova regra vale para o período entre 17h 20h. As informações são do Hoje em Dia.

Carretas e cavalos mecânicos estão proibidos de circular na região em qualquer horário. Ao completar um ano, a restrição será ampliada das 7h às 20 h, de segunda a sexta-feira. Aos sábados, passa a ser das 7h às 15h.

Segundo a BHTrans, para cargas indivisíveis e veículos especiais que ultrapassem a capacidade e horários estabelecidos, será emitida uma autorização para o tráfego, diante solicitação prévia do interessado. O coordenador de Projetos de Trânsito da empresa, José Carlos Mendanha, afirma que as novas diretrizes priorizam a utilização de veículos de carga menores em vários pontos da cidade.

- A medida possibilita o trânsito de veículos mais ágeis, maior rotatividade nas vagas de carga e descarga, além de garantir maior segurança no trânsito e preservar o pavimento das vias.

As novas regras para a circulação e operação de carga e descarga em Belo Horizonte vêm sendo implantadas desde outubro de 2009. A BHTrans fará restrições, a partir do dia 26 de julho, no perímetro entre a Assembleia Legislativa e a região do Barro Preto, e na Região Hospitalar, em outubro.

A restrição já vale para trechos das avenidas Afonso Pena, Prudente de Morais, Raja Gabaglia, Amazonas, Tereza Cristina, Pedro II, Antônio Carlos, Cristiano Machado, dos Andradas, Carlos Luz e do Contorno.

Para Ulisses Martins Cruz, presidente do Fetcemg (Sindicato das Empresas de Transportes de Carga do Estado de Minas Gerais), o setor tem visto as medidas com preocupação.

- Embora as decisões sejam tomadas em consenso com toda a cadeia, as restrições têm impacto de custo para o cliente, já que, em vez de fazermos a entrega com uma carreta, são necessários seis caminhões menores.



RESTRIÇÕES A CAMINHÕES : BELO HORIZONTE.



Prefeitura de Porto Alegre define regras para caminhões no centro
Escrito por Zero Hora
Qua, 09 de Março de 2011 14:03
Porto Alegre (RS) – A prefeitura de Porto Alegre confirmou a proibição do trânsito de caminhões com peso entre 10 e15 toneladas ou comprimento superior a 7 metros, de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, e aos sábados, das 7h às 14h, na área do Centro Histórico da Capital.

Caminhões, com peso acima de 15 toneladas, não poderão circular no Centro, exceto em vias e horários especificados pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). A sinalização, estabelecendo as novas regras, será colocada até o final deste mês, com campanha de orientação aos transportadores iniciando em 2 de abril. A fiscalização começa em de 2 de junho.

Situações especiais, previstas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), serão ajustas com a EPTC. As novas regras foram definidas após diversos encontros entre os técnicos da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e os representantes dos transportadores de cargas, com circulação na capital.

— Construímos esta proposta com o objetivo de preservação de toda a região do centro histórico da cidade, sem prejuízos para o abastecimento de cargas à população — afirmou Vanderlei Cappellari, Secretário Municipal da Mobilidade Urbana.

Nenhum comentário: